CÉLULAS TRONCO X CANCER
23/04/2019 19:10 em Novidades

Células-tronco presentes em tumores malignos podem levar à resistência do câncer à quimioterapia. Pesquisadores coreanos reprogramaram células-tronco de osteossarcoma a células de osso não tumorais utilizando substâncias liberadas por células-tronco do tecido adiposo. A expressão de genes relacionados à resistência a medicamentos foi reduzida drasticamente após a reprogramação das células.

Células-tronco presentes em tumores malignos podem levar à resistência do câncer à quimioterapia. Pesquisadores coreanos reprogramaram células-tronco de osteossarcoma a células de osso não tumorais utilizando substâncias liberadas por células-tronco do tecido adiposo. A expressão de genes relacionados à resistência a medicamentos foi reduzida drasticamente após a reprogramação das células.

Células-tronco do câncer (CTCs) são células encontradas em tumores malignos que possuem capacidade de auto renovação e de diferenciação em várias linhagens celulares. As CTCs foram identificadas em diversos tipos de câncer, incluindo o de mama, glioblastoma (tumor cerebral) e osteossarcoma (tumor ósseo). Estas células contribuem para a heterogeneidade da população de células cancerígenas e têm implicações importantes nos resultados de algumas abordagens terapêuticas, como a quimioterapia. Logo, a presença das CTCs no tumor limita a eficácia terapêutica pois aumenta a resistência do tumor aos medicamentos.

Muitos estudos que buscam desenvolver ou melhorar tratamentos para o câncer têm focado nas CTCs. Estas células são uma potencial causa de falha da quimioterapia, além de estarem relacionadas ao aumento de tumores e metástase. As CTCs podem ser reprogramadas, direcionando-se sua diferenciação em linhagens não-tumorais e diminuindo a resistência do tumor a medicamentos. Uma das formas de se fazer esta reprogramação é utilizando os chamados exossomos. Exossomos são pequenas vesículas (ou bolsas) de dimensões nanométricas, secretadas pela maioria das células, incluindo as células-tronco. Estas “bolsas” contêm substâncias, como proteínas, que transferem informações de uma célula para as células vizinhas. Estas proteínas podem, por exemplo, induzir a diferenciação de células-tronco a linhagens específicas.

Pesquisadores coreanos investigaram a capacidade de exossomos liberados por células-tronco do tecido adiposo (CTAs) de reprogramar CTCs encontradas em osteossarcoma, induzindo sua diferenciação em linhagens ósseas não-tumorais. As CTAs podem se diferenciar em células de cartilagem, de osso e outras, dependendo das moléculas às quais são expostas. Sendo assim, os cientistas forneceram para as CTAs algumas moléculas que as estimulam a se diferenciar em linhagens ósseas e, durante o processo de diferenciação, recolheram e isolaram os exossomos liberados. Em paralelo, a equipe separou as CTCs das demais células de uma linhagem de osteossarcoma e em seguida cultivou estas células na presença dos exossomos obtidos anteriormente.

Saiba mais sobre os resultados desta pesquisa

Os resultados mostraram que os exossomos levaram a um aumento da expressão de genes relacionados a linhagens ósseas pelas células. Isso indica que o conteúdo destas pequenas bolsas realmente foi capaz de reprogramar as CTCs do osteossarcoma a células de osso não-tumorais. Além disso, a expressão de genes relacionados à resistência a medicamentos diminuiu drasticamente. Essa conclusão confirma o potencial da abordagem de reduzir a resistência do câncer à quimioterapia. Os pesquisadores afirmaram que ainda não se sabe ao certo como os exossomos são capazes de reprogramar as CTCs. No entanto, esta é uma estratégia promissora para o desenvolvimento e melhoria de tratamentos para diversos tipos de câncer.

Além de desenvolver pesquisas na Universidade de Hanyang, na Coréia do Sul, o time de pesquisadores também faz parte de uma empresa chamada Exostemtech. Seu foco é o desenvolvimento de agentes terapêuticos à base de exossomos para uso cosmético e na medicina regenerativa. A empresa também possui dois produtos em fase de testes pré-clínicos: Hepatosome®, para o tratamento de fibrose hepática, e ChondrosomeTM, para o tratamento de osteoartrite.

Referência

Lee, K.S. et al.Reprogramming of cancer stem cells into non-tumorigenic cells using stem cell exosomes for cancer therapy – Biochemical and Biophysical Research Communications.

 Fonte

tudosobrecelulastronco.com.br

 
COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!